Escutar Justin Bieber pode fazer bem para a sua carreira

em

 

Concentração, produtividade e eficácia. Esses termos são normalmente associados a um outro conceito: silêncio. No entanto, estudos desenvolvidos a partir os anos 80  mostraram que, durante a realização de certas tarefas, a música pode ser de extrema ajuda no crescimento da produtividade.

A explicação está no efeito que a música tem no cérebro humano – muito diferente do que em qualquer outro animal já estudado. Ao ouvir sons agradáveis, uma parte do sistema nervoso chamado Núcleo Accumbens comanda a liberação de dopamina, o neurotransmissor químico do prazer (o mesmo que é liberado quando encontramos pessoas de quem gostamos ou comemos nossos pratos preferidos). Por interferir nas sensações de quem escuta, a música apresenta um grande potencial para aumentar a produtividade no trabalho se utilizada da maneira correta.

O que se escuta é muito importante. Músicas clássicas melhoram a habilidade com matemática, enquanto artistas pop como Jesse J e Justin Bieber podem aumentar a velocidade de produção ao realizar tarefas rotineiras. Durante a revisão de textos ou verificação de ortografia, músicas dançantes como as do DJ David Guetta se mostram mais efetivas – melhorando em cerca de 20% a execução das tarefas.

Segundo a pesquisadora da Universidade de Miami Teresa Lesiuk, os resultados da análise de ambiente com e sem música são amplamente distintos. Os índices mostram que o tempo de execução de tarefas é maior quando o espaço está em silêncio, assim como a tensão existente no local de trabalho. Além disso, foram percebidas melhoras no humor dos funcionários e uma percepção mais aguçada ao desenvolver tarefas.

No entanto, é necessário que sejam consideradas diversas variáveis na hora de escolher a melhor música para um ambiente de trabalho. Estudos divulgados na revista Psychology Today acrescentam que nem em todos os casos a produtividade aumenta significativamente quando se escuta musica ao mesmo tempo em que se trabalha. Para um grupo de estudos analisado pela revista, os sons se tornavam uma distração e os obrigava a repetir a tarefa desempenhada.

A relação entre os diversos tipos de música e o rendimento de tarefas no ambiente de trabalho ainda passa por análises e não apresenta fórmulas sem falhas. A eficácia dos estímulos musicais depende também dos hábitos e da capacidade de concentração da pessoa que está produzindo. Apesar de os estudos chegarem a diversos resultados, alguns fatores parecem sempre caminhar para conclusões óbvias: independentemente de qual seja a melhor forma de se trabalhar, a eficiência da produção não deve ser afetada.

Para gerenciar tarefas, tempo e prioridades foram desenvolvidas muitas ferramentas de gestão de equipes – dentre elas, a parceira da Facto Runrun.it. O software online organiza o fluxo de trabalho e define as principais demandas, aumentando a produtividade dos grupos. Se a música certa não te ajuda a produzir mais, a organização de projetos não falha na manutenção da produtividade.

Arte por Raphaele Caixeta

Texto por Carolina Pavan

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s